Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

ÚLTIMA POSTAGEM

Hoje faz um ano da criação do blog SENHOR CARTUM. Mas... por que "senhor cartum"?
Isso é somente uma referência direta ao filme Senhor dos Anéis, que o George adora. Que marcou sua forma de ver a arte. O título não trás nenhuma pretensão de ser um artista "grande", magistral, fabuloso... nada nesse sentido. Consciente de que, com seu singelo traço e sua mensagem simples, o blog foi o retrato de seu idealizador.
Deixo hoje o blog como abondono uma placa de trânsito. Não preciso ficar olhando-a quando dela não mais precisar.Agradeço a todos os seguidores, sintam-se abraçados, amigos poetas, pintores, escultores, cronistas...
Enfim... como diz o título "úlmita postagem", deixo aqui o blog, porém sei que a doce maldição da arte jamais me abondanará, pois ela é perfeita.
Assim ficamos, que assim seja...

sábado, 25 de dezembro de 2010

JESUS, ESSE GRANDE DESCONHECIDO


Em seu livro “Jesus, esse grande desconhecido”, Juan Arias faz um excelente trabalho jornalístico sobre a figura mais adorada da História, Jesus. Provavelmente a menos lembrada em época de Natal. Outras obras também fazem referência a essa FIGURAÇA que tem influenciado o ocidente por mais de vinte séculos.
O livro oficial do cristianismo, a Bíblia, no Novo Testamento narra a passagem do Cristo ( ungido ) e seus prodígios e suas boas novas. Crossan detalha as possibilidades histórias de Jesus na Terra, desde seu nascimento na minúscula vila de Nazaré aos seus últimos dias na Terra, com grande riqueza de detalhes históricos e pesquisas arqueológicas, literárias e antropológica. Antonio Piñero fala dos evangelhos apócrifos ou proibidos, onde se verifica textos de Flávio Josefo ( historiador judeu quase que contemporâneo de Jesus ) entr outros que narram a infância de Jesus na Palestina.
São obras de grande relevância entre as inúmeras sobre a o tema que desperta grandes questões existenciais:
Quem foi Jesus? Um estadista? Um guerreiro? Numa época em que era comum os movimentos apocalípticos messiânicos, Jesus só poderia ter sido bem diferente para ser o único lembrado.
Como era sua aparência? Se era feio, como poderia cativar crianças?
Era trabalhador? Tinha calos nas mãos? Era um menino peralta que detonava os outros somente para ressuscitá-los depois? Tinha a intenção de fundar uma nova religião ou somente tentou popularizar a já existente?
Além de inúmeras questões existenciais, o jovem judeu deixa-nos um vasto legado cultural.
Sem Jesus e sua Igreja, que música Bach teria composto? O que teria pintado Michelangelo, Rafael, Giotto, Zurbarán, Ticiano, Donatello, Velázquez?
As questões não cessam e isso é bom. Por vezes, a busca é o que nos proporciona crença e reforça a fé. Que o seu exemplo de ética e caridade viva.


Fonte: Jesus, esse grande desconhecido. Juan Arias. Ed. Objetiva.
O Jesus histórico. John Dominic Crossan. Imago
A Bíblia. Novo Testamento
O outro Jesus segundo os evangelhos apócrifos. Antonio Piñero. Ed. Mercuryo.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Mais um desenho a lápis


Este desenho representa o Russel Crowe, o gladiador.
Demorou cerca de 35 horas para ser produzido.
É o máximus dividí-lo com meus caros seguidores.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

CRIADOR


A gênese do mundo está associada a um criador pessoal na crença pessoal da maioria dos povos. Em muitos mitos, ele parece zoomorfo: corvo entre os esquimós, coiote entre algumas tribos indígenas, serpente na menalésia.
A frepresentação mais simples do criador na arte ocidental é a mão abençoadora de Deus, não a operativa. O símbolo próprio da criação é a palavra de Deus ( Verbum Domini ).
De acordo com Huberto Rohden, o ser humano pode ler tudo e ouvir tudo a respeito de Deus. Porém, de nada adiantará sem uma experiência direto com ELE.

Fonte: Dicionário de Simbologia de Manfred Lucker. Editora Martins Fontes
A essência das Religiões. Editora Martin Claret

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

A Baleia valenciana deseja a todos um ótimo natal, ano novo, carnaval, ano inteiro... não sei o que mais...

PARA QUE PLANTAR JARDINS??


“Grandes e pequenos se dão as mãos e brincam de roda, empinam papagaios, dançam... e choram seus mortos, e choram a si mesmos em seus mortos, e constroem altares, e falam sobre a suprema conquista do corpo, o triunfo final sobre a natureza, a imortalidade da alma, a ressurreição da carne...”
Trecho do livro O QUE É RELIGIÃO, de Rubem Alves.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

E você? Acredita que Deus é grande???


Em seu ótimo LIVRO DAS RELIGIÕES, Jostein Gardeen defende que o ser humano não necessita somente de comida, mas precisa também descobrir por que estamos vivos.
As chamadas questões existenciais dizem muito a respeito de nossa existência. Quem sou eu? Como foi que o mundo começou a existir? Deus existe? São essas as questões existenciais.
Muitas questões existenciais são bastante gerais e surgem em todas as culturas. Elas formam as bases de todas as religiões. Não existe nenhuma raça ou tribo de que haja registro que não tenha tido algum tipo de religião.

Fonte: O livro das religiões. Josten Gardeen. Companhia de bolso. 6 reimpressão. 2010.

sábado, 11 de dezembro de 2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010


Em sua obra História Universal, H. G. Wells descreve que, desde a pré-história, Deus é algo constante no cotidiano das pessoas.
Em sua teoria, o homem mais velho das tribos sedentárias era o mais respeitado, o guerreiro mais forte e o mais temido. Em suas coisas ninguém tocava e todos o respeitavam inconsequentemente. Com o tempo, esse homem velho morre. Mas sua lembrança ainda assusta e permeia a vida de todos, nos sonhos e pesadelos. Nas histórias dos mais velhos, como modo de educar aos mais novos, passando de geração a geração.
Esse homem velho torna-se uma espécie de “pré-deus” e passa a representar o temor e esperança. Todos veneram sua lembrança e seus ensinamentos. Ele torna-se protetor e guardião de outras dimensões, sem sofrimento ou rancor. Mas... todos devem temê-lo.
Deus é essencial e, como nas palavras de Voltaire, se ele não existisse, o ser humano teria que inventá-lo.

Fonte: História Univeral. H. G. Wells. 1964
Dicionário Filosófico de Voltaire. Ed. Martin Claret

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Desenho a lápis


Este desenho foi feito com lápis grafite. Ainda estou estudando o estilo e a técnica com o mestre Nelves.

domingo, 5 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Começou dezembro


Durante o corrente mês, falemos um pouco de religião, religiosidade e religiões; crenças, Natal e o simbólico Papai noel.Meus amigos seguidores podem participar com sujestões de charges para o mês.
Saúde, um abraço a todos e o espaço é nosso!!
George

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Agora sim! Vem aí o SALIVA 2010

A partir do dia 12 de novembro, acontecerá em Valença - PI, o SAliva( Salão do Livro de Valença) 2010. A cultura e a lteratura de Cordel serão homenageadas. Você levará para casa, gratis, sua caricatura, feita ao vivo pelo George.
Todo mundo está convidado. Não faltemos! Viva a cultura!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

ZÉ DA INVENÇÃO E SUA MÁQUINA DE TANGER CABO ELEITORAL

INFORMAÇÕES VISUAIS


Há muito tempo, fiz esse desenho para alguns colegas.
Eu o chamei de jogo das informações visuais. Pois o desenho dizia muito por si.
Vejamos... o cara tá dançando, é torcedor do Vasco e pela inhaca do sovaco... parece não tomar banho com frequência.
Chique, não?!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

E O SALIVA VEM AÍ!!


O mês de setembro é bastante aguardado em Valença do Piauí. Além do aniversário da cidade, tem também o Salão do Livro de Valença ( SALIVA ). "O livro é o maior exemplo de magia que existe, onde você é capaz de entrar na mente de pessoas que viveram há muito tempo atrás, mas que você nunca viu!" ( Carl Sagan ).
Além de muitos livros, incluindo a literatura de cordel, o SALIVA contará com a presença de grande público, professores e repentistas, esses nossos gênios do improviso.
Todos, americanos, europeus, africanos, asiáticos, todos os valencianos do mundo e os esquimós sintam-se convidados para o SALIVA 2010.
É a festa da cultura e a cultura é universal.

terça-feira, 6 de julho de 2010

SOBRE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

Em seu livro Desenhando Quadrinhos, Scott McCloud determina 4 estilos básicos de desenhistas de quadrinhos. Bem mais que isso, são quatro filosofias de vida de quadrinhistas.
São eles:

Os classicistas – o desenhista do tipo classicista valoriza a técnica e a busca da perfeição. Seu trabalho busca a beleza perdurável. A construção das histórias e dos personagens correspondem a uma perspectiva realista. As revistas Marvel e DC das décadas de 70 e 80 são exemplos de traços clássicos com Jonh Birnie e Buscena.

Os animistas – são artistas mais leves de traço. Intuitivos, criam vida por meio da arte. É uma modalidade que agrada tanto gerações passadas como as gerações atuais. Ziraldo, Quino, Maurício de Sousa, Jack Kirby, Frank Miller. Os desenhistas animistas já geraram leitores mais que todas as outras modalidade artística de quadrinhos juntas. A tribo dos animistas é a mais aceita por atingir, diretamente, o lado direito do cérebro, responsável pelo humor, fantasia e nebulosidade.

Os formalistas – esses artistas gostam de dar vida aos quadrinhos em si. É como se cada quadro ou cena quisesse pular fora da revista e contar sua própria narrativa. As histórias em quadrinhos dos formalistas parece mais um laboratório gráfico. Art Spiegelman, Kevin Huizenga e Merlin Goodbrey são verdadeiros magos dos quadrinhos.

Os iconoclastas – aqui os personagens e as histórias ganham o cotidiano. É ideal para quem gosta de se ver nas narrativas. O iconoclasta é o desenhista da vida real. Os personagens espirram, arrotam, vomitam, peidam... enfim, você ver verrugas e cuecas. O conteúdo é bem adulto e autêntico pelo fato de por a vida em primeiro plano. Julie Doucet, Jacques Tardi e R. Crumb são alguns representantes.

Porém, não há nada que impeça um salto de um estilo a outro. Tudo isso não passa da medida exata do ser humano e sua complexidade. As quatro modalidades correspondem às quatro funções do pensamento humano de Carl Jung: Classicismo – sensação , animismo – intuição , formalismo – pensamento , iconoclasta – sentimento.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

quinta-feira, 24 de junho de 2010

quarta-feira, 23 de junho de 2010

XXII Festival Junino de Valença do Piauí


Próximo dia 03 de julho terá início o XXII Festival Junino de Valença do Piauí, na praça do Xerém "Arraial do Gorgulho". Valença contará com grande número de pessoas de toda a microrregião afim de prestigiar o evento.
Valença abrirá suas cortinas ao mundo!
A cultura agradece.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Como desenhar uma cabeça


Experimente. Comece a desenhar uma cabeça engraçada apenas com um círculo e uma cruz, para marcar os elementos do rosto ( olhos, boca, orelha e nariz ).
É uuma ótima terapia e umbom exercício de coordenação motora.